Jornal O Interiorano - A verdade como referência - Fundador: João Victor da Silva - CNPJ: 13.513.199/0001-01 - Fone: (83) 8855-0110 - Sapé-Paraíba.

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Ex-primeira dama Marisa Letícia 

sofre AVC e é internada no Sírio Libanês

Ela chegou consciente e foi levada diretamente para a sala de cateterismo

Créditos: Léo Pinheiro / Futura Press / AE

A ex-primeira dama Marisa Letícia, de 66 anos, mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) hemorrágico e foi internada nesta terça-feira (24) no Hospital Sírio-Libanês, no Centro de São Paulo. Após saber do AVC, o ex-presidente Lula foi para lá.
De acordo com o centro médico, ela deu entrada às 15h30. A ex-primeira dama chegou consciente e foi levada diretamente para a sala de cateterismo, onde os médicos iniciaram um procedimento para tentar estancar a hemorragia.
Em sua conta oficial no Twitter, o ex-presidente comentou a internação da mulher. "Dona Marisa Letícia foi hospitalizada nesta terça-feira. Estamos torcendo muito para que ela se recupere logo. #ForçaDonaMarisa", disse no microblog.
O que é AVC hemorrágico
O acidente vascular cerebral hemorrágico (ou derrame hemorrágico) ocorre quando há um rompimento dos vasos que levam sangue ao cérebro, paralisando a área cerebral que ficou sem circulação sanguínea adequada.
Entre os sintomas que em geral afetam as vítimas de AVC estão a diminuição ou perda súbita da força no rosto, braço ou perna de um lado do corpo; a alteração repentina da sensibilidade, com sensação de formigamento na face, braço ou perna de um lado do corpo; a perda súbita de visão num olho ou nos dois olhos; uma alteração aguda da fala, incluindo dificuldade para articular, expressar ou para compreender a linguagem; dor de cabeça súbita e intensa sem uma causa aparente; instabilidade, vertigem súbita intensa e desequilíbrio associado a náuseas ou vômitos.
Dependendo da região do cérebro atingida e a extensão das lesões, o AVC pode ter consequências mais ou menos graves. Os de menor intensidade praticamente não deixam sequelas. Já os mais graves podem levar as pessoas à morte ou a um estado de total dependência de ajuda, sem condições, por exemplo, de sequer levantar da cama.
Com G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poste aqui seu comentário