Jornal O Interiorano - A verdade como referência - Fundador: João Victor da Silva - CNPJ: 13.513.199/0001-01 - Fone: (83) 8855-0110 - Sapé-Paraíba.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Estratégia? Cássio evita comentar troca de ‘amabilidades’ entre Ricardo Coutinho e José Maranhão sobre 2018

Estratégia? Cássio evita comentar troca de ‘amabilidades’ entre Ricardo Coutinho e José Maranhão sobre 2018
O senador Cássio Cunha Lima (PSDB) até que foi instigado, mas despistou e não respondeu como avaliava as recentes trocas de amabilidades públicas entre o senador José Maranhão (PMDB) e o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), durante entrevista, nesta sexta-feira (18).

Apesar de integrar a chamada “união das oposições”, o senador José Maranhão deu declarações de que não teria problemas em abrir um diálogo com o governador Ricardo Coutinho. O chefe do executivo, por outro lado, retribuiu e, até mesmo, em declarações, destacou alguns dos avanços que mereciam reconhecimento implantados na época em que o mestre de obras foi governador.

A pergunta foi feita pelo radialista Fábio Bernardo, da Arapuan FM, da seguinte forma: senador, como é que o senhor tem visto, nos últimos dias, essa troca de amabilidade entre o governador Ricardo Coutinho e o senador José Maranhã? Isso pode prejudicar o objetivo das oposições de seguir unidas para 2018?

A resposta de Cássio veio sem entrar no mérito da pergunta. Cássio disse que iria continuar discutindo a composição não apenas da chapa, mas do projeto que as oposições terão para a Paraíba, cutucou a gestão socialista, mas, em nenhum momento, comentou sobre um cenário de reaproximação entre PMDB e PSB.

“Nós vamos continuar discutindo a composição não apenas de uma chapa para 2018, como propostas efetivas para enfrentar dificuldades como esta da segurança pública, assim como outras áreas que carecem de mudanças e transformação na forma de encarar os problemas de saúde, o desempenho do Estado no Ideb, a crise da UEPB, o desemprego, o aumento de impostos, entre outros” disparou.

Nos bastidores acredita-se que Cássio adotou uma estratégia ao não cutucar ou opinar sobre as movimentações do senador José Maranhão. O objetivo seria não acelerar um futuro rompimento político e, mais uma vez, perder o apoio do partido no pleito estadual.


Com PB Agora

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Demissão de diretor de matadouro em Sapé vira assunto das ruas e alvo de sessão na câmara

Seu nome, Francisco Cavalcante Cabral (72 anos); sua função, diretor do matadouro público de Sapé há mais de 12 anos; repercussão, nas ruas da cidade e alvo de debate da sessão itinerante da Câmara Municipal realizada na manhã de hoje, 17/08, no distrito de Inhauá. A razão, sua demissão através do prefeito de Sapé. Nem mesmo ele próprio (Chico Cabral) sabia o quanto era amado em sua cidade e pelos marchantes e comerciantes de carnes bovinas.
Na sessão desta quinta-feira, algo chamou a atenção dos moradores da comunidade de Inhauá, quando da sessão itinerante – o desabafo da vereadora Cibele Cabral e filha do demitido- um pronunciamento carregado de decepção e constrangimento, isso porque, ela é protagonista de duas campanhas em prol do atual prefeito de Sapé, Roberto Feliciano, além de ser alinhada politicamente com o gestor, uma vez que é filiada ao próprio partido do prefeito(PSB), votou por duas vezes neste e três vezes do presidente Luiz Limeira Neto(Sobrinho de Roberto Feliciano).
Quando Cibele Cabral(PSB) falou em Inhauá, o silêncio foi sepulcral: “Alguém incentivou o prefeito a fazer isso, pois não creio que ele tenha essa índole”, disse a vereadora, sem entender o porquê da demissão de seu pai. ”Estou no deserto, de verdade. Mas não posso deixar de dizer que até meus colegas estão sentindo junto comigo “, emendou ela, deixando claro que sua fala era apenas um depoimento pessoal.
Em respeito a vereadora Cibele Cabral e pelo carinho que todos tem pelo ex-diretor do matadouro público municipal, nenhum dos 15 parlamentares com assento na Casa de Augusto dos Anjos e presentes à sessão emitiram qualquer parecer contra o demitido.
Usando da palavra, o vereador Wilson Cavalcante(PP) lamentou a atitude do prefeito de Sapé, assegurando se tratar de questões políticas. “É lamentável que o prefeito não saiba soletrar a palavra respeito, tampouco valorizar a sua aliada vereadora Cibele”.
Já o vereador Arquimedes Natércio(da base de sustentação do governo municipal) argumentou: “Qual a razão para a demissão de Chico Cabral, uma vez que nunca ouvi alguém falar negativamente deste? No mínimo, o prefeito deveria ter pensado muito antes de fazer isso”.
Em seu pronunciamento, o vereador Robson Guedes, da oposição, mas que votou em Roberto, disse: “Sou amigo pessoal de Chico Cabral e sei de seu trabalho no matadouro, desde há muito tempo. Me arrependo de ter votado em Roberto Feliciano”, frisou.

Da redação

Do Interiorano
Câmara Municipal de Sapé realiza sessão itinerante na comunidade rural de Inhauá
Nesta ocasião foi lido um Projeto de Lei de autoria do vereador-presidente Johni Rocha(PSDB), que isenta taxa de energia para moradores rurais, o qual foi subscrito por 9(nove) vereadores, devendo ser aprovado em 2(duas) discussões na Casa de Augusto dos Anjos
Na manhã desta quinta-feira (17/08) a Câmara Municipal de Sapé se deslocou e foi até a comunidade do Inhauá para realizar a primeira sessão itinerante. A reunião contou com a presença unânime dos vereadores, representantes e uma boa parte da comunidade que compareceu para assistir a sessão da câmara, pela primeira vez, sob a presidência de Johni Rocha(PSDB).
O objetivo do encontro que foi a aproximação do Poder Legislativo com a comunidade, para construção de soluções conjuntas para os problemas enfrentados diariamente, foi alcançado com a presença da comunidade local, que agradeceu a presença dos parlamentares, mas também cobrou a resolução de algumas dificuldades enfrentadas no sítio. A sessão aconteceu na Praça do Carrasco, com a presença do 15 parlamentares, e foi de suma importância para que a comunidade discutisse os problemas que havia juntamente com os vereadores, para que assim possa levar até o Executivo Municipal.
Na abertura dos trabalhos o presidente da casa, Johni Rocha agradeceu a presença de todos e pediu para que as pessoas ficassem à vontade para trazer suas demandas como também disse que a sessão itinerante é uma forma dos vereadores escutarem a população mais de perto e de prestar contas dos seus trabalhos junto à comunidade.
Para o presidente Johni Rocha, “A Câmara foi mais longe para ficar mais perto da população”. Logo na abertura, o presidente enfatizou as dificuldades das comunidades rurais se deslocarem entre 10 a 20 km para assistir as sessões na sede do município, o que o levou a imprimir um novo modo de aproximação, levando a Câmara a realizar sessões itinerantes. “Essa é apenas a primeira de uma série que acontecerá em outras comunidades”, pontuou Johni Rocha.

Muitas pautas importantes foram apresentadas, a exemplo de requerimentos formulados ao prefeito(Vera do Peixe) e Pedro Ramos Cabral(ao governo do Estado), pedido a estadualização do Hospital Sá Andrade.


Já o vereador Arquimedes Natércio(PP) fez um pedido de informação sobre quanto foi gasto e em que, na reforma do referido hospital.

Entre outras matérias apresentadas em Inhauá,  destaque para um  Projeto de Lei respaldado na  lei 850/2002, que isenta moradores da zona rural do pagamento de taxa de energia elétrica. A matéria que foi lida e deve ser votada em dois momentos, foi subscrita por 9 vereadores: Cibele Cabral, Adriano de Inhauá, Nego Simplício, Arquimedes Natércio, Elton Serafim, Robson Guedes, Wilson Cavalcante, Vera do Peixe e o próprio presidente Johni Rocha(fotos).



Da redação
do Interiorano


















segunda-feira, 14 de agosto de 2017

34% dos brasileiros

 gostariam de emigrar

Dados são da coluna do jornalista Lauro Jardim

No Brasil pós-golpe, a melhor saída é o aeroporto.
Depois que três personagens – o senador Aécio Neves (PSDB-MG), o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e Michel Temer – se uniram para destruir a democracia e tomar de assalto o poder, arruinando a economia, destruindo empregos e os sonhos de milhões de brasileiros, o resultado do desalento foi captado num levantamento do Instituto Paraná Pesquisas.
Hoje, nada menos que 34,6% dos brasileiros gostariam de emigrar e viver em outro país, segundo aponta a coluna do jornalista Lauro Jardim.
"Se você pudesse escolher, continuaria a morar no Brasil ou se mudaria daqui? O Instituto Paraná Pesquisas fez essa pergunta para 2.468 brasileiros entre terça e sexta-feira da semana passada e constatou que um terço já se imagina em outro país. Aos números: 34,6% disseram que morariam no exterior, enquanto 62,8% não desistiriam do Brasil (2,6% não opinaram)", escreve o jornalista.
Outra pesquisa divulgada neste domingo, feita pelo Instituto Ipsos, aponta que, para 86%, a democracia não é respeitada e que, para 94%, o Brasil é governado por quem não representa a sociedade
Com Brasil 247

Moradores são usados como reféns durante assalto a agência Bancária no Brejo paraibano nesta madrugada

Moradores são usados como reféns durante assalto a agência Bancária no Brejo paraibano nesta madrugada
"Escudo humano". Os bandidos voltaram a explodir bancos na Paraíba. E desta fez fizeram cinco moradores de rua como refêns para praticar o assalto.  A  explosão aconteeu na madrugada desta segunda-feira (14) na agência do Bradesco de Alagoa Grande, no Brejo paraibano. O crime foi praticado por um bando formado por cerca de 20 homens fortamente armados.

Segundo informações do Centro Integrado de Operações Policiais, os bandidos chegaram encapuzados e explodiram a agência. Viaturas foram acionadas e ao chegar no local, constatou que a quadrilha fugiu levando cinco pessoas como reféns.

Durante toda a ação, os criminosos mantiveram cinco trabalhadores reféns.De acordo com a Polícia Militar, os trabalhadores foram encontrados pelos criminosos na zona rural do município momentos antes da explosão. Depois de fazê-los reféns, o grupo seguiu direto para a agência dos Correios, onde tentaram arombar o cofre do local e não conseguiram.

Após a ação frustrada, os criminosos explodiram uma agência bancária da cidade. Dois caixas eletrônicos ficaram destruídos, mas até as 7h a polícia não soube informar se algum dinheiro tinha sido levado durante a ação.

No começo da manhã desta segunda-feira, as duas vítimas já havia sido liberadas. A polícia está realizando buscas na região para pender os acusados.


Em Salgado de São Félix, um grupo chegou em dois carros e violou a agência do Bando do Brasil. Os seis suspeitos utilizaram um maçarico durante a ação. Segundo a Polícia Militar, os suspeitos foram identificados através de câmeras de segurança do circuito interno da agência bancária. Eles usaram um maçarico para tentar arrombar os caixas eletrônicos do local, mas não há confirmação se conseguiram roubar algum dinheiro.A polícia continua fazendo diligências. Nenhum dos seis suspeitos foi preso.


Com PB Agora