Jornal O Interiorano - A verdade como referência - Fundador: João Victor da Silva - CNPJ: 13.513.199/0001-01 - Fone: (83) 8855-0110 - Sapé-Paraíba.

sexta-feira, 15 de novembro de 2019

SAÍDA DO PSB

Vice-líder do governo diz que João Azevêdo terá novo partido em 2020+

Lindolfo Pires - Foto: Ascom/ALPB
Vice-líder do governo na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), deputado Lindolfo Pires (Podemos), tratou a saída do governador João Azevêdo da comissão provisória que gere o PSB na Paraíba como último passo do ainda socialista para deixar o partido.
“Acredito que sim [João Azevêdo sairá do partido]. Ele fez logicamente no intuito de procurar outra alternativa. Tudo leva a crer que deve se confirmar a sua saída e o governador procurará novos caminhos partidários a partir do próximo ano”, afirmou o parlamentar.
Além de João, o senador Veneziano Vital e o secretário Chefe de Governo e ex-presidente da legenda, Edvaldo Rosas, também deixaram a comissão que é presidida pelo ex-governador Ricardo Coutinho.
Desde a nomeação de Edvaldo Rosas para Secretaria Chefe de Governo, em agosto, o PSB atravessa uma forte crise interna.
No dia 16 daquele mês, a direção nacional do PSB anunciou a decisão de nomear uma comissão provisória para o partido na Paraíba depois que integrantes do diretório estadual ligados a Coutinho iniciaram movimento de renúncias, provocando a destituição do atual presidente, Edvaldo Rosas, e uma nova eleição na legenda, um ano antes do fim mandato.
Com MaisPB

Focado na Educação, Governo municipal de Sapé realizou o 3º Forúm Temático da Eja

O Governo Municipal da Sapé – O Futuro se Faz Agora II, focado na Educação, realizou no último dia 12, o III Forúm Temático da Eja – educação de Jovens e Adultos: “Educando do Eja, Protagonistas do Processo de Ensino Aprendizagem”.
O evento contou com a presença do secretário municipal da Educação, Esporte, Cultura e Turismo, Kildare Freitas, e da secretária executiva desta pasta, Josinallva Gomes, professores, diretores de escolas e demais profissionais da educação.
Desde o início da gestão, o prefeito Roberto Feliciano tem focado a gestão na Educação, com a valorização de professores e todos os profissionais da área. Avanços significativos tem sido notórios através de construções e reformas de escolas em toda a zona urbana e também na zona rural do município.
Ao término do Fórum que foi prestigiado por um expressivo número de pessoas, foram apresentadas Práticas e Experiências vividas com a EJA pelos alunos e professores no contexto Municipal de Ensino.
Da redação
Do Interiorano

COMISSÃO NO PSB

João, Veneziano e Rosas deixam executiva


Sede do PSB em João Pessoa - Foto: Maurílio Júnior
Agora é oficial. O governador João Azevêdo não faz mais parte da comissão provisória responsável por gerir o PSB na Paraíba. A saída do gestor já consta na composição partidária registrada no Tribunal Regional da Paraíba (TRE-PB).
Além de João, o senador Veneziano Vital e o secretário Chefe de Governo e ex-presidente da legenda, Edvaldo Rosas, também deixaram a comissão.
Os deputados estaduais Buba Germano, Jeová Campos e Cida Ramos, ligados historicamente ao ex-governador RIcardo Coutinho, substituem o trio.
A comissão tinha João Azevêdo como vice-presidente – condição que passa a ser ocupada pelo deputado federal Gervásio Maia -, Veneziano como secretário-geral – cargo agora de Cida Ramos -, Valquíria Alencar e Edvaldo Rosas como secretários especiais, sendo substituídos por Buba Germano e Jeová Campos. Ricardo Coutinho preside a comissão.
Desde a nomeação de Edvaldo Rosas para Secretaria Chefe de Governo, em agosto, o PSB atravessa uma forte crise interna. Tudo começou quando as deputadas Cida Ramos e Estela Bezerra – historicamente ligadas a Ricardo Coutinho – deflagram a crise sob a batuta do ex-governador.
As parlamentares passaram a defender a saída de Rosas do comando do partido para que o ex-governador assumisse o cargo, o que desagradou o governador João Azevêdo pela forma como foi conduzido o processo.
A direção nacional do PSB anunciou, então, no dia 16 daquele mês, a decisão de nomear uma comissão provisória para o partido na Paraíba.
A “intervenção” aconteceu depois que integrantes do diretório estadual ligados a Ricardo Coutinho iniciaram movimento de renúncias, provocando a destituição do atual presidente, Edvaldo Rosas, e uma nova eleição na legenda, um ano antes do fim mandato.
Como fica a comissão provisória:
Ricardo Coutinho: presidente
Gervásio Maia: vice-presidente
Cida Ramos: secretária-geral
Jeová Campos: secretário especial
Buba Germano: secretário especial
Márcia Lucena: primeira secretária
Fábio Maia: secretário de Finanças
Com MaisPB

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

SECRETÁRIO GARANTE CHEGADA DAS ÁGUAS 
DO SÃO FRANCISCO EM CINCO DIAS À PARAÍBA
O Coordenador do Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco, Tavares Junior, garantiu em contato com o deputado estadual Moacir Rodrigues (PSL), que a água da Transposição chegou à barragem de Barro Branco, que é a última barragem para chegar à cidade de Monteiro na Paraíba. As águas do velho chico, devem chegar a Paraíba em 5 dias.
A informação, conforme destacou o parlamentar, confirma a promessa do Ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto e do Presidente Jair Bolsonaro que garantiram o bombeamento do Eixo Leste da Transposição.
No começo dessa semana, o Ministério informou que apesar da barragem Cacimba Nova estar em monitoramento e testes com vazão reduzida, as águas do Rio São Francisco já seguem pelos canais com previsão de chegar ao último reservatório do Eixo Leste – Campos – em novembro.
Na última segunda-feira (11) durante passagem pela Paraíba, o Ministro Gustavo Canuto, disse que os campinenses não passarão por novo racionamento de água e que na segunda metade de novembro a água bombeada deve voltar a chegar em Monteiro através da transposição.
Redação
com PBAGORA
OPINIÃO

Ecos políticos da passagem de Bolsonaro por Campina


Jair Bolsonaro em Campina Grande: presidente foi embora, mas deixou efeitos políticos na Paraíba
O presidente Jair Bolsonaro passou por Campina Grande na segunda-feira, mas os desdobramentos da visita presidencial, não.
Os efeitos atravessaram a Rainha da Borborema e esta semana de burburinho.
A distância do presidente com o PSL ganhou expressão na política local. O divórcio entre Bolsonaro e a direção do partido na Paraíba, vide o deputado federal Julian Lemos, foi oficializado.
A bem da verdade, no caso da  relação com Lemos, a crônica de uma morte anunciada desde os primeiros meses do ano.
Esse pois foi o primeiro recado que ficou: quem quiser ter a bênção de Bolsonaro para qualquer projeto político, não será filiado ao PSL.
Um mal-estar para Artur Bolinha, que entrou na legenda com essa expectativa, administrar.
No mesmo dia, veio o anúncio do Aliança, o partido que abrigará o “legítimo” bolsonarismo.
Outro fato constatado pós-agenda: em Campina Grande, Bolsonaro tem aliado preferencial, o prefeito Romero Rodrigues (PSD) e o ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB).
De Cássio, vem o terceiro reflexo da visita. O tucano está vivo e com nome fincado no debate da sucessão municipal, se quiser, embora ele externe nos bastidores pouco apetite pela ‘causa’.
Quarto: João Azevêdo se mantém no campo da esquerda, mas o governo, como instituição, dialoga e mantém o nível mínimo de necessária convivência com o Planalto.
Foi o que ficou da presença no evento da vice-governadora Lígia Feliciano (PDT), injusta e deselegantemente vaiada, quando mostrou maturidade ao aparecer numa solenidade em terreno inóspito.
Quinto: o presidente começa a deflagrar uma nova relação com o Nordeste. Evitou polêmicas e optou por um discurso de afagos com direito a um estridente “Ihuuuuu” ao final.
Bolsonaro seguiu viagem, mas o reflexo de sua presença ficou na política estadual.
Com MaisPB