Jornal O Interiorano - A verdade como referência - Fundador: João Victor da Silva - CNPJ: 13.513.199/0001-01 - Fone: (83) 8855-0110 - Sapé-Paraíba.

terça-feira, 25 de setembro de 2018

DEBATE

Maranhão defende transparência no Governo

+
Zé Maranhão, candidato ao Governo do Estado pelo MDB, participou, nesta segunda-feira (24) de um debate promovido pela Tv Diário do Sertão, em Cajazeiras. O senador garantiu, que se eleito, vai reativar a economia do estado. Segundo ele, em Cajazeiras serão construídas novas barragens e o aeródromo receberá melhorias.
Maranhão deu destaque à importância de fazer um governo humanizado e próximo ao cidadão, que trabalhe de forma transparente: “Transparência Pública é atitude necessária para qualquer administração. É através dela que a população pode acompanhar efetivamente o que vem sendo feito. Há poucos dias foi preciso uma ação judicial para que a Paraíba conhecesse uma lista de codificados no Governo do Estado. Existem dois cupins que corroem o aparelho público: um é a incompetência e o outro é a falta de cumprimento das normas de austeridade e transparência. Para que haja uma fiscalização efetiva é preciso que a sociedade tenha acesso à informação. Da mesma forma que uma empresa privada se preocupa com a  qualidade das construções que faz, as gestões tem que ter esse zelo com a questão pública.”
Sobre Segurança Pública, o candidato afirma que é necessário motivar os policiais: “Para se ter tranquilidade é preciso ter um efetivo que acompanhe o crescimento da população, a polícia precisa ser estimulada. Como é que um policial que na hora da aposentadoria vai perder metade da sua remuneração vai se sentir estimulado a trabalhar plenamente para garantir a segurança da população?É preciso modernizar a polícia. Usar novos equipamentos e investir na qualificação e na polícia investigativa”.
C/MaisPB
TSE

Lei da Ficha Limpa retira 173 candidatos das eleições de outubro


Dos 29.101 candidatos que pediram registro, a Justiça Eleitoral rejeitou 1.888, o que representa 6,5% do total. Segundo dados disponíveis no portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 173 candidatos foram julgados inaptos por causa da Lei da Ficha Limpa, entre eles o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que disputaria o Palácio do Planalto pelo PT.
A falta de requisitos para registro – como a não comprovação de pleno exercício dos direitos políticos, alistamento eleitoral e filiação partidária – foi o principal motivo para indeferimento de candidaturas – 75,46% do total de pedidos. Treze candidatos foram considerados inaptos a disputar as eleições por abuso de poder e outros cinco por gasto ilícito de recursos.
A Justiça Eleitoral confirmou 27.213 candidaturas, um crescimento de 4% em relação a 2014, quando 26.162 disputaram as eleições gerais – presidente, governador, senador, deputado federal, estadual e distrital. Até agora, 682 candidatos renunciaram e três morreram.
Embora a corrida presidencial seja a mais discutida no país, a eleição para a Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) é a mais disputada: são 40,88 candidatos por vaga. A Câmara Legislativa tem 24 cadeiras e se apresentaram 981 concorrentes.
As 26 assembleias legislativas têm 1.035 cadeiras e 17.950 candidatos, o que dá em média 17,34 concorrentes por vaga. Para as 513 vagas na Câmara dos Deputados, são 8.595 postulantes (16,75 por vaga).
Do total de candidatos, 13 disputam a Presidência da República, 202 concorrem a governador dos 26 estados e do Distrito Federal e 358 postulam o Senado. Neste ano, estão em disputa duas cadeiras de senador por estado, totalizando 54 vagas.
O PSL foi o partido que lançou o maior número de candidatos país afora – 1.543, 5,3% do total. Além do presidenciável Jair Bolsonaro, 942 concorrem a deputado estadual, 488 a deputado federal, 24 a deputado distrital, 22 a senador, 14 a governador, 11 a vice-governador e 41 a suplente de senador.
Na sequência vêm o PSOL, com 1.347 concorrentes e o PT, com 1.309 candidatos. Além do presidenciável Guilherme Boulos, o PSOL lançou candidatos a governador em 25 estados. O PT tem candidato a presidente, Fernando Haddad, e disputa 16 governos estaduais.
C/Agência Brasil

Confira a agenda dos

 candidatos ao Governo

 do Estado nesta terça-feira

Foto: autor desconhecido.
Faltando apenas 12 dias para as eleições, os candidatos ao 
Governo da Paraíba começam a intensificar ainda mais as
 suas agendas realizando caravanas, reuniões e visitas em todo
 o Estado.
Confira:
João Azevedo (PSB)
Manhã
09h – Grava para guia eleitoral
Tarde
16h30 – Caravana das Mangabeiras
José Maranhão
Manhã
08h – Entrevista na 101.1 FM em Campina Grande
Tarde
Grava para o guia
Noite
Comício em Cacimba de Dentro
Lucélio Cartaxo
Manhã
9h – Reunião com equipe de campanha
Tarde
14h – Gravação do guia eleitoral
17h – Reunião com equipe do Sinduscon – JP
Noite
19h – Participa de caminhada em Santa Rita
Rama Dantas 
A candidata não divulgou agenda desta terça-feira
Tárcio Teixeira
Manhã
08h30 – Sabatina na TV Mídia -Guarabira
Tarde
14h- Reunião com apoiadores/as em Guarabira
16h – Presença em Ato “Mulheres Contra Bolsonaro”, 
 localizado na Praça Aline Moura em Guarabira
Noite
18h – Debate com população do Brejo nas mediações do
 Sebrae em Guarabira.
Com WSCOM
PRAZO FINAL

Eleitor pode requerer 2ª via de título até quinta


Termina nesta quinta-feira (27) o prazo para o eleitor solicitar a segunda via do título no cartório eleitoral da zona onde está cadastrado. O documento não é o único aceito no pleito de outubro e o eleitor pode se apresentar com outros, desde que seja oficial com foto, como a carteira de identidade, carteira de trabalho, carteira de motorista ou passaporte.
Para solicitar a segunda via do título, o eleitor deve estar em dia com a Justiça Eleitoral, ou seja, não poderá ter débitos pendentes, como multas por ausência às urnas ou aos trabalhos eleitorais, como o de mesário, ou ainda ter recebido multas em razão de violação de dispositivos do Código Eleitoral (Lei 4.737/1965), da Lei das Eleições (Lei 9.504/1997) e leis conexas. Multas devem ser pagas por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU) emitida pelo cartório eleitoral e podem variar de R$ 1 a R$ 35,14.
Título digital
Eleitores que estiverem com a situação regular também podem optar pela versão digital do título de eleitor que pode ser obtida gratuitamente por meio do aplicativo e-Título, disponível para smartphones gratuitamente nas lojas virtuais Apple Store e Google Play.
O e-Título também serve como documento de identificação do eleitor caso ele já tenha feito o recadastramento biométrico. Isso porque a versão digital será baixada com foto, o que dispensa a apresentação de outro documento de identificação no momento do voto.
Pelo aplicativo é possível saber o local de votação e, por meio de ferramentas de geolocalização, até sua seção eleitoral. Além disso, ele também oferece serviços como a emissão de certidões de quitação eleitoral e negativa de crimes eleitorais.
O local de votação também pode ser conhecido com uma pesquisa simples no portal do TSE, por meio da seção Serviços ao eleitor “Título de eleitor”, título e local de votação. A consulta pode ser feita pelo nome do eleitor ou número do título, data de nascimento e nome da mãe. Os eleitores que perderam o prazo final do alistamento, no dia 9 de maio, não poderão votar nas Eleições de 2018. Essa foi a data limite para requererem inscrição eleitoral, transferência de domicílio, alteração de título eleitoral ou transferência para seção eleitoral especial (eleitores com deficiência ou mobilidade reduzida).
C/Agência Brasil 
Ricardo Coutinho rechaça tentativa de criminalização do Empreender/PB

É grande a expectativa em torno do julgamento da Aije do Empreender-PB, marcada para o dia 28 próximo no Tribunal Regional Eleitoral, tendo como alvo o governador Ricardo Coutinho, do PSB. Mas em entrevista ontem (24), em entrevista o governador rechaçou a tentativa de criminalização do Empreender/PB. “Essa oposição tenta criar qualquer factoide, para atrapalhar essa curva ascendente de João Azevêdo nas pesquisas e a curva descendente dos outros dois candidatos”, disse RC.

Para o governador os oposicionistas ao seu modelo de gestão tentaram desde o inicio criminalizar um programa que é fundamental para a economia paraibana. “Você não pode criminalizar algo que quase não existe no Brasil e essa foi à estratégia que existe dentro de instituições, você percebe dentro do próprio TCE. Você quer coisa mais horrível que um relatório que sai cair logo nas mãos da oposição. Passaram a noite o relatório para o Sistema Correio. E o relatório dizia o que comparando o primeiro semestre  de 2018, houve um aumento de 600%, claramente uma manipulação. Eu estou dizendo que houve uma manipulação. Doutor Fernando Catão, jamais deveria autorizar soltar um relatório daqueles sem antes comunicar ao Estado. Porque não comunicou o Estado. Porque queria só o note, para poder dar sequencia a essa criminalização de um programa tão importante”, disse RC.

O Empreender-PB foi um programa criado na gestão de Ricardo com o intuito de facilitar o acesso a recursos por parte de pessoas interessadas em tornar-se pequenos investidores, mas o Ministério Público Eleitoral insinua desvio de finalidade, com utilização eleitoreira, e abriu a possibilidade de ocorrer a cassação do mandato do governador e da sua vice, Lígia Feliciano. No dia do julgamento, a próxima sexta-feira, restarão apenas 94 dias de mandato de Ricardo, que optou por não concorrer ao Senado, como aguardavam seus correligionários, permanecendo até o fim no exercício do Executivo. A sua vice, Lígia Feliciano, do PDT, é candidata à reeleição na chapa encabeçada pelo ex-secretário João Azevêdo, do PSB


Redação c/PBAGORA