Jornal O Interiorano - A verdade como referência - Fundador: João Victor da Silva - CNPJ: 13.513.199/0001-01 - Fone: (83) 8855-0110 - Sapé-Paraíba.

sexta-feira, 9 de agosto de 2019



Cartaxo aponta critérios

 para escolha de nome para 

sucessão 2020 e revela que

quer continuidade do

 modelo de gestão






“Alguém que tenha compreensão exata do que está sendo feito na cidade e do que precisa avançar na gestão municipal”. Esses são os critérios que o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), vai adotar para a escolha do nome na sucessão municipal da Capital, em 2020.
“As conversas políticas vão acontecendo naturalmente. Estamos tendo a oportunidade de dialogar, de analisar o cenário, mas o foco maior é no cotidiano, é na vida das pessoas. É muito cedo pra discutir nome agora em setembro”, afirmou o prefeito.
OUÇA:
Tocador de áudio
Para o chefe do Executivo municipal, será necessário conversar com os partidos, com vereadores, com lideranças políticas para, desta forma, chegar a um nome para a sucessão.
“Vamos conversar com todo mundo que representa a cidade de João Pessoa pra gente apresentar um nome que tenha a compreensão exata do que está sendo feito na cidade, do que precisa avançar mais, do futuro que nós estamos preparando para a cidade de João Pessoa, da qualidade de vida que as pessoas esperam que cada vez mais melhore. Não há ainda critérios pontuais, mas queremos alguém que seja alguém que tenha compreensão do trabalho que está sendo feito na cidade, do modelo de gestão que aqui foi implantado”, emendou.

Com PB Agora

quarta-feira, 7 de agosto de 2019



Câmara Federal aprova texto-base

 da reforma da Previdência

 por 370 votos a 124

Por Wellton Máximo e Heloísa Cristaldo – Repórteres da Agência Brasil
Por 370 votos a favor, 124 contra e 1 abstenção, o Plenário da Câmara dos
 Deputados aprovou, em segundo turno, o texto-base da proposta de emenda
 à Constituição que reforma da Previdência. Sob aplausos, o presidente da 
Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), proclamou o resultado à 0h38 desta quarta-feira
 (7), depois de cinco horas de debates.
A sessão foi encerrada logo após o anúncio do placar. Segundo Maia, os deputados
 começarão a discutir os destaques em sessão marcada para as 9h de hoje. No
 segundo turno, só podem ser votados destaques e emendas supressivas, que retiram 
pontos do texto. Propostas que alteram ou acrescentam pontos não podem mais ser 
apresentadas.
A sessão para votar a reforma da Previdência em segundo turno começou às 19h15, 
depois de Rodrigo Maia passar o dia esperando a formação de quórum no Plenário da 
Casa. Por volta das 19h50, os deputados rejeitaram um requerimento do PSOL para
 retirar a proposta de pauta, por 306 votos a 18.
Por volta das 20h55, os parlamentares votaram um requerimento dos líderes para
 encerrar as discussões depois de dois deputados terem falado contra e dois a favor.
 Aprovado com 350 votos favoráveis e 18 contrários, o requerimento ajudou a acelerar
 a sessão.
Em seguida, deputados do centrão e do governo esvaziaram o Plenário para forçar
 Rodrigo Maia a encerrar e reabrir a sessão, reduzindo o número de requisições da 
oposição para alongar os debates.
No início da noite, os parlamentares aprovaram, em votação simbólica, a quebra do 
prazo de cinco sessões entre as votações em primeiro turno e em segundo turno para
 que a PEC pudesse ser votada ainda nesta madrugada. Nas últimas horas, o Plenário 
aprovou requerimentos para acelerar a sessão, como o que rejeitou em bloco todos os 
destaques individuais e o que impediu o fatiamento da votação do texto principal.
O primeiro turno da proposta foi concluído no dia 13 de julho.
Nao  o texto principal foi aprovado por 379 votos a 131. Em segundo turno, são 
necessários também 308 votos para aprovar a PEC, e os partidos podem apresentar
 somente destaques supressivos, ou seja, para retirar partes do texto. Concluída a
 tramitação na Câmara, a matéria segue para análise do Senado, onde também será 
analisada em dois turnos de votação.
Divergências
A oposição ainda tenta modificar trechos da proposta e anunciou que apresentará os 
nove destaques a que tem direito para tentar retirar pelo menos quatro itens do texto
 da reforma. Estão no foco dos partidos da oposição a retirada de trechos como as
 mudanças na pensão para mulheres, nas aposentadorias especiais, na pensão por
 morte e as regras de transição.
A líder da Minoria, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), reiterou nessa terça-feira (6)
 que oposição trabalhará na “redução de danos” ao trabalhador. Entre os pontos que a 
oposição tentará retirar da reforma estão a restrição ao abono salarial a quem recebe 
até R$ 1.364,43 em renda formal e a redução de novas pensões a 50% do salário médio
 do cônjuge falecido, com acréscimo de 10 pontos percentuais por dependente.
No entanto, para deputados da base governista, os destaques serão rejeitados
 independentemente dos esforços dos partidos de oposição. “A oposição está 
obstruindo, e obstruir significa não trabalhar para que Brasil possa avançar. Nós 
vamos, queira a oposição ou não, votar a reforma, a nova Previdência, para que o 
País volte a crescer e para que façamos com que ele volte a gerar emprego e 
oportunidade de vida ao povo brasileiro”, disse o deputado Darci de Matos (PSD-SC).

Com WSCOM
TREZE ANOS

João entrega Patrulha Maria da Penha em aniversário da lei


Governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB) - Foto: Francisco Franca/Secom
O governador João Azevêdo (PSB) lança, na manhã desta quarta-feira (7), a Patrulha Maria da Penha da Paraíba (PMP-PB) com a entrega de três viaturas caracterizadas e unidade móvel (Ônibus Lilás), durante solenidade em alusão ao aniversário de 13 anos da Lei Maria da Penha (nº 11.340/2006), na Praça João Pessoa.
A PMP integra o Programa Mulher Protegida do Programa Paraíba Unida pela Paz e vai monitorar a segurança das mulheres que estão sob medidas protetivas.
Ainda na solenidade, o governador João Azevêdo oficializará o funcionamento do serviço com a assinatura de dois decretos, que institui o Programa Integrado Patrulha Maria da Penha e cria o Grupamento de Ações Preventivas da Polícia Militar, onde está incluído o efetivo da PMP.
O gestor também entregará 20 viaturas para o patrulhamento realizado pela Companhia Especializada de Apoio ao Turista (Ceatur).
Com MaisPB

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

EM OITO MESES

Paraibanos já pagaram mais de R$ 10 bilhões em impostos neste ano

Os paraibanos já pagaram mais de R$10 bilhões em impostos, do início do ano até às 17h45 deste domingo (4), de acordo com levantamento feito pelo Portal MaisPB no impostômetro. A ferramenta tem por objetivo contabilizar o total de impostos pagos pelos brasileiros em tempo real.
Somente em João Pessoa, foram pagos R$ 365 milhões em impostos, até 17h49. Já os campinenses desembolsaram 90 milhões em tributos este ano, o dado foi verificado às 17h55.
Os impostos são cobrados a pessoas física ou jurídica, o dinheiro é arrecadado pelo governo e deve ser revertido em atendimentos e serviços públicos de qualidade para toda a população.
O número corresponde ao total pago para a União, estados e municípios na forma de impostos, taxas, multas e contribuições. Entre os impostos pagos pelos brasileiros, alguns deles são: Imposto sobre Importação, Imposto sobre Circulação de Mercadorias, Imposto sobre operações financeiras e Imposto de Renda da Pessoa Física.
O impostômetro foi desenvolvido em 2005 em parceria do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT) com a Associação Comercia de São Paulo (ACSP). A ferramenta registra a arrecadação tributária e tem como objetivo informar o valor total de impostos, contribuições, taxas e multas que os brasileiros pagam a União, aos estados e municípios.
Os impostos pagos são atualizados diariamente e podem ser acompanhados por meio do site (www.impostometro.com.br).
Com MaisPB

sexta-feira, 2 de agosto de 2019

Nonato diz estar afinado

com o estilo de João

 governar

O jornalista Nonato Bandeira foi nomeado nesta sexta-feira pelo governador João Azevedo para comandar a Secretaria de Comunicação do Governo da Paraíba. Ele agradeceu ao governador pela confiança em seu trabalho e disse estar completamente afinado com o estilo de João em administrar o Estado.
Secretário de Governo desde o início da atual gestão, Bandeira deixa a pasta que passa a ser comandada pelo presidente estadual do PSB, Edvaldo Rosas. Para a Secretaria Executiva de Comunicação, João Azevedo nomeou o advogado Fábio Barros Araújo.
Com 21 anos de jornalismo na área privada, Nonato Bandeira, atualmente com 54, é formado em Comunicação Social
pela UFPB e já ocupou as diversas funções nas redações paraibanas, de revisor a editor geral. Exerceu a presidência da Associação Paraibana de Imprensa, militou no movimento estudantil e sindical, além de coordenar a implantação de rádios comunitárias e ser o responsável pelo projeto que originou a primeira televisão pública da Paraíba, a TV Assembleia.
Na área pública, Nonato Bandeira foi secretário de Comunicação e Chefe de Gabinete da Prefeitura de João Pessoa e do Governo da Paraíba nas gestões de Ricardo Coutinho. Também ocupou a vice-prefeitura de João Pessoa, eleito em 2012 no primeiro mandato de Luciano Cartaxo.
EXECUTIVO DE COMUNICAÇÃO – O novo secretário executivo de Comunicação, Fábio Barros Araújo, é formado em Direito pelo Unipê, com especialização na Escola Superior da Magistratura. Exerceu diversos cargos na administração pública. Foi assessor jurídico da Secom, Controlador geral do município, secretário da Transparência Pública e secretário executivo da Comunicação, todos na Prefeitura de João Pessoa. Especialista em
Licitações públicas, ele também exerceu a chefia de Gabinete da Secretaria de Comunicação do Estado e recentemente foi assessor jurídico da Secom-PB na gestão do secretário Luís Torres.

Redação com PBAGORA