Jornal O Interiorano - A verdade como referência - Fundador: João Victor da Silva - CNPJ: 13.513.199/0001-01 - Fone: (83) 8855-0110 - Sapé-Paraíba.

sábado, 13 de maio de 2017

RC rechaça amadorismo das críticas da oposição e orienta: "A gente para exercer a política tem que se preparar"



O governador Ricardo Coutinho, do PSB, condenou, neste sábado (13), o amadorismo de alguns políticos que fazem oposição na Paraíba, por disseminar o que ele classificou de “factoides” para poder ganhar ibope, mesmo sem ter o conhecimento real dos problemas.

Boatos sobre a procedência dos recursos para investir na malha viária da Paraíba, além das especulações em torno da redução do duodécimo do Tribunal de Justiça foram alguns alvos – conforme o governador – das mentiras plantadas por oposicionistas.

“A oposição não consegue dizer nada positivo de comparação, de dizer, na nossa época era melhor. Observem. Eles ficam inventando factoide aqui acolá, conversa com um, deturpa a história, coloca as pessoas em constrangimento, isso não é papel de político. A gente para exercer a política tem que se preparar, se não se preparar sai dizendo bobagem por aí. A verdade é que a Paraíba não tem dinheiro sobrando, mas também não tem dinheiro faltando para aquilo que ela é responsável”, disse.

Coutinho rechaçou ainda a insinuação feita pelo deputado Tovar Correia Lima, do PSDB, de que os recursos para tirar cidades do isolamento teriam deixados pelos governos Cássio e Maranhão.

“Se eu, enquanto gestor, tivesse dinheiro para alguma coisa, e não fizesse, eu estaria dando atestado de incompetência, de ineficiência, eu não posso ter outro conceito de quem abre a boca para dizer que deixou dinheiro, mas não fez a obra. Em seis anos eu fiz 2400 km de estrada, esse outro que abre a boca para dizer um absurdo desses, passou seis anos e não fez nem 300 km e o que fez, como a estrada de Pilões, desmanchou com dois anos e nós tivemos que refazer”, lembrou.

RC lembrou que Os U$ 100 mi acordados ainda no governo anterior ao dele sequer tinham sido liberados. “É bom lembrar que esse recurso estava apenas acordado e não liberado. Fui em que assinei a liberação ainda em abril de 2011 e ele representa apenas a 24ª parte de todo o investimento que nós fizemos em seis anos de gestão”, arrematou.

Essa semana quem também condenou o amadorismo da oposição foi o deputado estadual João Gonçalves. Ele citou Tovar Correia, o líder da oposição, que levou para Assembleia Legislativa da Paraíba um debate sem conhecer a fundo o problema. Trata-se da polêmica em torno da recente superlotação registrada no Hospital Arlinda Marques, em João Pessoa.

Tovar quis jogar a responsabilidade para o Governo do Estado, mas Gonçalves, que além de ter sua maior base eleitoral na Capital, já é deputado de sucessivos mandatos, garantiu que o colega não tem conhecimento sobre o tema e faz um discurso errado, apenas por ser oposição. “Tive que rebater o deputado Tovar porque ele não tem conhecimento. Como parlamentar ele tem que conhecer para poder trazer o problema a público. Ele faz um discurso errado”, disse.


Com PB Agora

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poste aqui seu comentário