Jornal O Interiorano - A verdade como referência - Fundador: João Victor da Silva - CNPJ: 13.513.199/0001-01 - Fone: (83) 8855-0110 - Sapé-Paraíba.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016


Crivella defende Malafaia e diz que evangélico é "vítima de preconceito"



  • J.F. Diorio/Estadão Conteúdo
    O pastor Silas Malafaia chega para depor na sede da Polícia Federal em São Paulo, na zona oeste da cidade, na tarde desta sexta-feira (16)
    O pastor Silas Malafaia chega para depor na sede da Polícia Federal em São Paulo, na zona oeste da cidade, na tarde desta sexta-feira (16)
O prefeito eleito do Rio, Marcelo Crivella (PRB), saiu em defesa do pastor Silas Malafaia, que foi alvo nesta sexta-feira (16) de um mandado de condução coercitiva dentro da Operação Timóteo, da Polícia Federal.
Em um vídeo publicado na noite desta sexta-feira (16) em sua página no Facebook, Crivella afirmou que a operação "cometeu uma injustiça contra um homem de bem" e declarou que o pastor foi "vítima de bandidos que operavam o Departamento Nacional de Produção Mineral [DNPM]". O diretor do DNPM, Marco Antonio Valadares Moreira, e a mulher dele foram presos pela PF.
"Lamentei profundamente a operação da Polícia Federal", disse o prefeito eleito do Rio. "Ele [Malafaia] é uma vítima. Vítima não só de um cheque dado por uma pessoa indevidamente, mas vítima também de um preconceito contra evangélico. Isso, no fundo, é preconceito contra nós evangélicos".
A operação investiga um esquema de corrupção em cobranças judiciais de royalties da exploração mineral. Moreira comanda a Diretoria de Procedimentos Arrecadatórios, responsável por gerenciar as receitas do DNPM. O setor cobra e distribui as cotas-partes da CFEM (Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais), o chamado royalty da mineração, a Estados e municípios.
Segundo a PF, Malafaia teria "emprestado" contas correntes da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo para ocultar valores desviados por esse esquema. Em posts no Twitter, o religioso afirmou ter recebido uma "oferta de cem mil reais de um membro da igreja" de um outro pastor, que seria seu amigo.
"Não sei o não conheço o que ele faz", afirmou Malafaia. O cheque teria sido depositado pelo próprio beneficiário em sua conta corrente. "Por causa disso sou ladrão? Sou corrupto? Recebo ofertas de inúmeras pessoas."
"O pastor Malafaia foi vítima; recebeu uma oferta de uma empresa que estava envolvida em um crime. Ele é uma vítima de um cheque dado por uma pessoa, indevidamente, e vítima também de preconceito contra evangélicos", declarou Crivella.
COM UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poste aqui seu comentário