Jornal O Interiorano - A verdade como referência - Fundador: João Victor da Silva - CNPJ: 13.513.199/0001-01 - Fone: (83) 8855-0110 - Sapé-Paraíba.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016


João Gonçalves critica aprovação

 da PEC da reforma política:

 "Mais um remendo"

A PEC 36/2016 foi aprovada em votação no 2° turno do Senado




O deputado estadual João Gonçalves (PDT) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa da Paraíba, durante a sessão ordinária desta quinta-feira (24), para avaliar a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que trata sobre a reforma política. O parlamentar voltou a destacar a inexistência de uma consulta popular sobre o tema.
"Continuo me preocupando muito e inclusive já fiz contatos com a Unale (União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais). É um verdadeiro descaso do Senado com a população e com os agentes políticos. É mais um remendo, mais um pedaço de pano do tecido jurídico sem ouvir as pessoas", avaliou.
O parlamentar criticou o fim das coligações na eleição proporcional e destacou que a criação da cláusula de barreira vai beneficiar apenas os donos dos partidos. "Agora vão fazer lista fechada. Agora os donos dos partidos vão colocar os parentes e somente depois vão pensar nos demais. Como dizer a população que o voto agora é em lista? Essa reforma eleitoral tem que ouvir a população", ressaltou.
O Senado aprovou em segundo turno, na noite de quarta-feira (23), a PEC 36/2016, que integra a reforma política. A proposta estabelece percentuais mínimos de votos para que os partidos políticos tenham direito ao fundo partidário e ao funcionamento parlamentar, a chamada cláusula de barreira.
"Vamos continuar fazendo o que os donos de partidos querem e não o que a população almeja", destacou o deputado João Gonçalves. As alterações no sistema eleitoral ainda precisam ser aprovadas pela Câmara dos Deputados. almeja", destacou o deputado João Gonçalves. As alterações no sistema eleitoral ainda precisam ser aprovadas pela Câmara dos Deputados.
Da redação com assessoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poste aqui seu comentário