Jornal O Interiorano - A verdade como referência - Fundador: João Victor da Silva - CNPJ: 13.513.199/0001-01 - Fone: (83) 8855-0110 - Sapé-Paraíba.

sábado, 19 de abril de 2014

Planeta similar à Terra e habitável é descoberto


 Planeta similar à Terra e habitável é descoberto
Astrônomos descobriram o que dizem ser o planeta mais parecido com a Terra já detectado - um mundo distante e rochoso que é similar em tamanho ao nosso planeja e existe na zona Goldilocks, onde não é muito quente ou muito frio para a vida.
A descoberta, anunciada nesta quinta-feira, entusiasmou os caçadores de planeta que varreram a galácia da Via Láctea durante anos para encontrar potenciais pontos habitáveis fora do sistema solar.
"Esse é o melhor caso para um planeta habitável já encontrado. Os resultados são simplesmente sólidos", disse em um email o astrônomo da Universidade da Califórnia (Berkeley) Geoff Marcy, que não teve nenhum papel na descoberta.
O planeta foi detectado pelo Kepler, telescópio em órbita da Nasa (a agência espacial americana), que examina os céus por mudanças súbitas em iluminação que indicam que um planeta está cruzando em frente de uma estrela. A partir dessas mudanças, os cientistas podem calcular o tamanho de um planeta e fazer certas inferências sobre como ele é.
O objeto recém-descoberto, apelidado de Kepler-186f, circula uma estrela-anã vermelha a 500 anos-luz da Terra na constelação de Cygnus. Um ano-luz é quase 10 trilhões de quilômetros.
O planeta é cerca de 10% maior do que a Terra e tem boa chance de ter água líquida - um ingrediente essencial para a vida - em sua superfície, dizem os cientistas. Isso porque ele reside na borda externa de uma zona de temperatura habitável ao redor de sua estrela - o doce local onde lagos, rios ou oceanos podem existir sem congelar ou evaporar totalmente.
O planeta provavelmente se aquece com o brilho laranja-vermelho de sua estrela e provavelmente é mais frio do que a Terra, com uma temperatura média ligeiramente acima do ponto de congelamento, disse Marcy. A descoberta foi detalhada na edição da revista científica Science, que será lançada na sexta-feira (18).

DA REDAÇÃO
COM IG

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poste aqui seu comentário